Arquivo

Posts Tagged ‘sprw’

Restaurant Week 2011 – Weinstube

Guiados pela vontade superior de comer bem, enfrentamos o cansaço de fim de semana e o trânsito horrendo da sexta-feira para chegar ao restaurante alemão Weinstube, no Clube Transatlântico, bairro Chácara Santo Antônio.

O lugar é pitoresco. Parecia que estávamos em outro tempo, em outro país. Tinha um quê de anos 80 (as paredes são de madeira trazida da Alemanha e os clientes são muito estilinho), tem um ar conservador que se nota pelos nomes nas portas (Sala de “Café da Manhã da Diretoria”, banheiros são marcados por ‘S’ e ‘H’!), uma sofisticação muito retrô, enfim, um lugar óóótemo pra você ir com seu avôs alemães.

Registrado isso, vamos a uma questão existencial: “Hey, Weinstube, cadê  o joelho de porco?”.

Gente, olha só o cardápio do Restaurant Week:

Entradas:
– Gazpacho verde (sopa fria de pepino, maçã verde, espinafre, cebola, alho, agrião e capim-limão com croutons de azeite) ou; (2 em 4 pediram este!)
– Envolto de Aspargo (aspargos verdes envoltos em massa Phyllo, servidos com molho de manteiga com ervas e bouquet de salada). (1 em 4 pediu este)

Pratos principais
– Medalhões de Filé Suíno com Presunto cru e Chantilly de Páprica servidos com Spätzle e legumes de verão (3 em 4 pediram este);
– Risotto de Caju com Camarões grelhados ao molho Bisque; (ninguém pediu!)
– Abobrinha recheada com Ratatouille ao perfume de orégano servida com molho de Parmesão e cuscuz de Quinua (ah, pelamordedeus!).

Sobremesas
– Taça de Verão (sorbet de frutas vermelhas e de limão com salada de frutas, Cointreau, iogurte natural e hortelã) ou; (supreendemente bom!)
– Terrine de frutas da estação com creme inglês e croutons de pão Kümmel. (surpreendentemente bonito!)

Ok, ok…dizer que alemão só come joelho de porco é igual a dizer uma coisa que me irrita muito: japonês só come sushi e sashimi! Mas nos admirou muito que não houvesse nenhuma opção com um prato mais típico e conhecido do público aqui no Brasil. O chucrute foi pro brejo quando demos uma olhadela no cardápio fixo do restaurante. O Cabeça de Gordo não resistiu e montou seu próprio menu:

– Goulash de entrada; (um ensopadão de carne, páprica e legumes)
– Schweinshaxe: Eisbein com chucrute e batatas sauté de principal; (o joelho de porco mais quisto da noite, repolho e batatas)
– Sacher Torte de sobremesa. (torta típica de chocolate)

Aí vem a parte boa de sair pra jantar com pessoas da sua confiança. Éramos 4 indivíduos de bom coração, generosos e sem frescura de garfar o prato do outro. Sendo assim, rolou o maior troca-troca gastronômico ever! Melhor, pois eu pedi Gazpacho verde de entrada, mas comi o Envolto de aspargo e também colherei o Goulash!  A mesma lógica se aplica ao prato principal. Pedi o filé suíno e me esbaldei no Eisbein. De sobremesa, escolhi o Sorbet, mas dei uma visitada na Terrine de frutas e acabei a noite na Sacher Torte!

O que tava super bom?
O Envolto de Aspargo, que era o aspargo fresco (óh!) envolto numa casquinha tipo rolinho primavera, tava saboroso, crocantíssimo e bem bonito.  O Eisbein também merece destaque: era um joelhão, tinha aquela crosta brilhante por fora, uma carne tenra e de lamber os dedos por dentro. O medalhão de carne de porco com presunto cru e Spätzle também mandou bem, a carninha tava show e se equilibrava em tempero com a massinha mais neutra. Pra terminar, o Sorbet de frutas foi a maior supresa! Não dei muito crédito só de ler a descrição, mas essa combinação toda ficou mega boa!

Envolto de Aspargos

Schweinshaxe, o impronunciável (joelho de porco, chucrute e batata sauté)

 

Medalhões de Filé Suíno com Presunto cru e Chantilly de Páprica servidos com Spätzle e legumes de verão

Taça de Verão (sorbet de frutas vermelhas e de limão com salada de frutas, Cointreau, iogurte natural e hortelã)

O que tava bem médio?
Eu não entendi o Gaspacho verde. Ele era feio, tinha uma espuminha tipo “acabei de sair do liquidificador”, os croutons ficaram moles no trajeto da cozinha à mesa e já chegaram molengas e obtusos (sim, croutons podem ser obtusos, oras!). Agora, o aroma, de fato, tava bom! O sabor nem tanto!  O Goulash ganha só “médio” porque eu achei ele meio ácido e também porque já comi outros muito melhores. A Terrine de frutas era a sobremesa mais bonita da mesa, boa mas meio sem gracinha. A Sacher Torte foi novidade pra mim, mas não curti muito a geléia/compota (acho que era de damasco) que faz parte da receita. Atirem-me pedras, mas torta de chocolate é só de chocolate mesmo!

Gaspacho Verde (olha a espuminha)

Goulash

Terrine de frutas

Sacher Torte

O atendimento foi ok, exceto pela nota fiscal paulista que demorou horas pra chegar! Por causa daquela olhadela no cardápio fixo, pretendemos voltar sim! (o cardápio tá no site, adoro isso!)

Acompanhe a gente neste tour de comilanças na próxima semana: @estomagofeliz.

Retaurant Week 2011  – Restaurante Weinstube
Clube Transatlântico – R. José Guerra, 130
Chácara Santo Antonio – São Paulo

Telefone: (011) 2133-8600
http://www.clubtransatlantico.com.br/gastronomia/weinstube.html

Restaurant Week 2011 – Restaurante Amazônia

Égua! O jantar de hoje foi massa! O restaurante é  o Amazonia, a comida é regional do Pará e a localização é o bairro da Bela Vista em São Paulo. Sim, vizinho às várias casas típicas italianas.

Mas vamos direto à comilança.

Das 3 entradinhas possíveis, escolhemos:

– Bolinho de piracui (Gente, piracui é o que há! Trata-se de peixe seco, triturado e usado como farinha pra fazer, dentre outros, bolinho!)

Bolinho de piracui (ao fundo, pimentinha de cheiro amarela puxada no tucupi)

– Casquinha de caranguejo (Ai, que ironia! Quando estivemos no Pará, queríamos muito comer da carne de caranguejo que é super famosa na região, mas a venda estava suspensa no estado (a exportação tava liberada!)  por causa das péssimas condições de higiene nas quais o caranguejo era processado – contaram pra gente que foi um escândalo quando perceberam que a mordida dos caras que faziam a separação da carne e da casca é que contaminava o produto! Isso mesmo, a separação é feita na unha, ou melhor, literalmente, no dente!)

Casquinha de caranguejo

De pratos principais, pedimos o brochete de robalo ao molho de ervas e arroz com purê de mandioquinha e o filé de pirarucu com purê de banana da terra. Pontos altos: os 2 peixes e o purê de banana.

Devo comentar que adoro os nomes que as pessoas arranjam pra dar mais charme às coisas da gente como a gente! Pra quem ainda não conseguiu ligar o nome à pessoa, brochete nada mais é que o nome do corte da carne, que neste caso, era um peixe, o robalo, e estava bem temperadinho e com uma textura muito boa.

Brochete de robalo com purê de mandioquinha e arroz com ervas

Do filé de pirarucu, um comentário é mais que justo: tinha um crocantinho por fora que estava matador. Combinado à maciez do purê de banana da terra ficou perfeito! Super gostei.

Filé de pirarucu com purê de banana da terra

Das duas sobremesas, uma recebeu 10, outra 0. O pudim de tapioca com calda de cupuaçu levou a melhor. Tava leve, suave e sem furinhos (tenho uma amiga que odeia pudim com furinhos, então comecei a reparar neste quesito).

Pudim de tapioca com calda de cupuaçu

ps. reparem na decoração lá ao fundo!

O nota baixa do dia foi a opção de sorvete que escolhi do anunciado “Sorvetes de frutas regionais”. Já começou mal com a propaganda pseudo- enganosa. De prima, parece que vai rolar uma degustação de vários sabores. Mas aí, vem a revelação de que é preciso escolher apenas um sabor. Mesmo assim, a decepção dá tchauzinho rapidamente quando descobrimos que se trata dos sorvetes da Cairu, a sorveteria mais bacana de Belém. Escolhi castanha-do-pará, que pela minha memória era imbatível.

Sorvete de castanha-do-pará

Acontece que o gosto e, principalmente, a consistência e textura não foram nem de perto os mesmos que guardei no coração. E, posso garantir que essas doces recordações foram bem acuradas nas incansáveis incursões que fizemos à Cairu.

Vale destacar o atendimento muito gentil que acompanhou toda a nossa estada no Restaurante Amazonia e também #ficadica de um lugar pra levar os parentes e amigos estrangeiros. Nos finais de semana e feriados, tem um bufê de 7 pratos clássicos (R$ 55/pessoa), entre eles os hits: pato no tucupi, maniçoba e filhote.

Por hoje é só, pessoal!

Acompanhe a gente neste tour de comilanças: @estomagofeliz.

Retaurant Week 2011  – Restaurante Amazônia

R. Rui Barbosa, 206

Bela Vista – São Paulo

http://restauranteamazonia.wordpress.com/