Arquivo

Archive for the ‘Variados’ Category

Vegetariano na Vila Madalena – Restaurante Banana Verde

O Banana Verde é super tradicional aqui na Vila Madalena. Mesmo assim, a gente demorou super para pegar gosto por ele. Uma dessas coisas meio sem explicação…

Não somos vegetarianos, mas de vez em quando entramos numa vibe de comer coisas mais saudáveis e é aí que o Banana Verde brilha absoluto por aqui!

O esquema do Banana é bacaninha. Tem bufê de saladas à vontade  + um prato principal à escolha do freguês (geralmente são duas opções).

Acompanhe…

Bufê de saladas + sopa + queijos

Bufê de saladas + sopa + queijos

O bufê é pequenino, mas super caprichado. Tem coisas bem gostosas e temperadinhas. Pra você que tem um pé atrás com comida vegê, dê uma chance, certeza que não vai se arrepender.

Ah, além das saladas, aqui tem queijos e uma sopinha/ caldinho (da última vez que estivemos lá, acabou o brie bem na minha vez. Ficaram de repor, mas terminei a refeição e ainda imperava o VAZIO).

A sopinha neste dia era de abóbora com coco. Eu curti tanto que já até imitei aqui em casa:

Sopinha de abóbora com coco + azeitinho

Sopinha de abóbora com coco + azeitinho

Saladas variadas

Saladas variadas

Me esbaldei aqui e fiz dois pratos como este:

Pratão de salada

Pratão de salada com molho de romã

Na hora de pedir o prato principal, o Cabeça torceu o nariz… as opções eram um falafel incrementado ou um canelone com ricota. Pra azar dele, duas coisas que ele num-gosta-nem!

Mas…o garçom muito simpático, foi ver na cozinha se rolava alguma outra coisa e eis que surge o salvador:

Massinha recheada de mussarela de búfala

Massinha recheada de mussarela de búfala

Eu garfei e tava muito bom!

Mas o meu prato tava muito mais gostoso! Jejeje…olha só:

Canelone de aspargos com ricota de búfala e limão siciliano ao creme de alho poró e parmesão

Canelone de aspargos com ricota de búfala e limão siciliano ao creme de alho poró e parmesão

Ah, e pra beber, tem boas opções também:

Água de coco e Chá do Banana Verde (chá de maçã com hortelã e gengibre)

Água de coco e Chá do Banana Verde (chá de maçã com hortelã e gengibre)

Pelo bufê + prato principal, pagamos R$44 por pessoa. O chá saiu por R$5 e a água de coco a gente não anotou! 😦

Banana Verde
Rua Harmonia, 278
Vila Madalena
tel: 3814.4828

Anúncios

Porco Rei na Vila Madalena

Porco Rei - sanduíche de pernil na Vila Madalena

Porco Rei – sanduíche de pernil na Vila Madalena

A janta de hoje foi bem gordinha! Comemos sanduíche de pernil no Porco Rei, aqui na Aspicuelta, entre a Fidalga e a Fradique.

Atrás do balcão estava um dos donos, o super boa gente Freitas, que já nos adiantou que logo em breve vai abrir um restaurante na parte de cima da ‘lanchonete’.

Explico as aspas, é que o Porco Rei não é exatamente uma lanchonete, é uma portinha com banquetas no balcão + umas duas mesas na calçada. O que, na minha opinião, é um diferencial bacana do negócio, já que fica a cara, o clima  e a comida que você procura pós-balada!

Fotoooss:

Porco Rei - o pernil rei

Porco Rei – o pernil rei

Super saboroso, o Freitas contou que leva 6 ervas diferentes e fica 5 ou 6 dias marinando no tempero! Esse molhinho do lado esquerdo é um molho de tomate com cebolas que vai em todas as versões do lanche.

Mostarda, Pomodoro e Quatro queijos

Mostarda, Pomodoro e Quatro queijos

Além do molho tradicional de cebola, você ainda pode escolher um deste molhos. O de mostarda tá com uma carinha meio seca, mas tava muito bom.

Rúcula, agrião, tomate serco, tártaro

Rúcula, agrião, tomate seco, molho tártaro, vinagrete e pimenta dedo-de-moça

Além dos molhos, também dá pra escolher mais um acompanhamento. Eu escolhi vinagrete e o Cabeça pediu a pimenta, claro! Olha só que negócio bonito:

Pimenta dedo-de-moça cozida com saquê, açúcar e outras coisitas...

Pimenta dedo-de-moça cozida com saquê, açúcar e outras coisitas…

Conforme nos explicou o Freitas e a gente comprovou, a pimenta fica doce e quase nada picante.

O sanduíche é feito numa baguetinha. Pra quem tem fome de leão, tá na medida:

Sanduíche de pernil

Sanduíche de pernil

O preço? R$10 cada sanduíche! A Coca-Cola saiu por R$4.

Infelizmente, ainda não tem delivery, mas vale a passagem e o bate-papo com o Freitas!

Porco Rei
Rua Aspicuelta, 480
Vila Madalena – São Paulo

Um Jacarandá em Pinheiros!

Hoje almoçamos no restaurante Jacarandá, recém chegado na vizinhança do Bairro de Pinheiros.

Fica na rua Alves Guimarães, o que significa dizer, em outras palavras, que estacionar lá perto é um desafio. (Que comentário de paulistano ranzinza, né!)

Ok, vamos ao que faz o dia sempre melhor: comida boa!

O Jacarandá é um restaurante de fachada discreta, com uma entrada bem bonita que pré-anuncia: aqui tem verde, aqui tem um Jacarandá! A árvore que dá nome ao restô fica bem no meio do salão e pode ser vista quando você olha reto ou quando você olha pra cima! Siiiim, para cima! É que algumas partes do teto são de vidro, o que enche o ambiente de luz natural e permite apreciar partes do Jacarandazão!

Olhando pra cima!

Olhando pra cima!

Olhando reto!

Olhando reto!

Além do visu bem bacana, outra coisa nos chamou atenção logo na chegada: eles servem água! Ok, nos últimos tempos têm surgido mais restaurantes que fazem isso aqui em SP, mas mesmo assim, ainda acho raridade! Ponto positivo!

Ah, o couvertzinho é grátis e super gostosinho. O pão tem jeito de caseirinho, assim como a manteiga e o azeite é de boa qualidade! Tanto é que quase esquecemos da foto:

couvert: pãezinho(S) + manteiga + azeite

couvert: pãezinho(S) + manteiga + azeite

De entrada, dividimos uma Fainá com coalhada seca!

Mas, que preula é FAINÁ?!

O garçom, com forte sotaque argentino explicou: uma massa fina de farinha de grão de bico frita acompanhada de coalhada seca:

Fainá com coalhada seca

Fainá com coalhada seca

Hum…gostosinho, mas mega oleoso!

O cardápio é enxuto, mas tem opções bem interessantes! Tipo, o Matambre a la leche com purê de mandioquinha, que infelizmente não tinha mais! (fica a motivação pra voltar outro dia).

Então, fomos de Costela de porco com batata doce assada e molhinho chimichurri! Super divino! Carne saborosa, corte show, chimichurri da-horinha!

Costela de porco com batata doce assada e molhinho chimichurri

Costela de porco com batata doce assada e molhinho chimichurri

E, Bife de chorizo com batatas fritas e ketchup caseiro! Dilícia!

Bife de chorizo com fritas e ketchup caseiro

Bife de chorizo com fritas e ketchup caseiro

O chorizo taria perfeito se tivesse vindo realmente mal-passado (tipo jugoso argentino de verdade). Tava mais pro mal-passado-ao-ponto-brasileiro.

Já o ketchup caseiro tava show de bola! Parece um detalhinho meio besta, mas faz toda a diferença!

De sobremesa, eles são fraquinhos! Tinha duas opções de frutas (uma delas tinha queijo da Serra da Canastra que é o queijo da moda). Uma opção de bolo de chocolate com nata e um pudim de dulce de leche que tinha acabado bem na minha vez!  😦

O serviço é um tantinho demorado, mas bem simpático. E mesmo com a decepção de dois pratos faltando, fica a vontade de voltar!

Ah, vale dizer que eles têm um armazém na entrada do restaurante que vende produtos regionais.

Restaurante Jacarandá
Rua Alves Guimarães, 153
Pinheiros – São Paulo
Tel: 11 3083-3003

Categorias:Argentino, São Paulo, Variados Etiquetas:,

Filé Alpino da Caverna Bugre

Já faz aproximadamente uma década que conhecemos o Caverna Bugre e seu famoso Filé Alpino. No entanto, o restaurante existe há mais de 60 anos.

Dessa vez, voltamos lá não apenas para matar a saudade, mas também para registrar mais um clássico de São Paulo para vocês.

Começamos com meia porção de Linguiça de Vitela, uma linguiça branca, bem temperada por esse “pózinho” branco que parece tempero de miojo, sazon, queijo ralado ou simplesmente uma farinha, mas na verdade trata-se de sal de aipo…

Linguiça Branca de Vitela

Repare que acompanha um molhinho de pimenta e mostardas amarela e escura.

Linguiça Branca de Vitela cortada ao meio

À primeira vista, não parece uma linguiça branca. Ao cortar, podemos ver que é.

Na sequência, veio o Filé Alpino:

Filé Alpino

O prato é composto por filé mignon com cerca de 1,5 cm de altura, em forma de hambúrguer, coberto por copa, catupiry e provolone, gratinados com molho inglês. Acompanha arroz, que é servido regado pelo molho inglês da carne. Um prato inteiro vem com duas porções de filé e serve bem duas pessoas. Nós demos conta do prato inteiro e da porção de linguiça com um certo esforço…

Essa combinação, obviamente, não é muito light em sal, nem em gordura, mas é muito saborosa. Recomendamos!

O serviço foi um pouco lento, mas simpático.

Aos finais de semana, o restaurante fica lotado e optamos por ir depois das 15 hs.

Valores: o Filé Alpino para duas pessoas custava R$ 70,80, em maio de 2012. A porção individual custa exatamente a metade. Já a porção inteira de linguiça branca custava R$ 18,90 e meia-porção saía por R$ 12,60.

O Caverna Bugre fica na Rua Teodoro Sampaio, 334, Pinheiros, São Paulo, e funciona de segunda a sexta das 12hs às 15hs e das 19hs à meia-noite. Aos sábados, das 12 à meia-noite, e domingos, das 12 às 22 hs. É possível fazer reserva ligando no (11) 3085-6984.

Categorias:São Paulo, Variados Etiquetas:,

Um belo ravioli no Arturito

Já faz um tempo que queríamos ir ao Arturito, desde o São Paulo Restaurant Week 2011, para ser mais preciso. No entanto, o restaurante lotou rapidamente e não conseguimos reservas.

Há algumas semanas atrás, finalmente fomos e não nos arrependemos!

O Arturito é comandado pela chef argentina Paola Carosella. Possui um ambiente bonito, agradável, com pé direito alto, favorecendo o conforto acústico dos clientes.

O atendimento é profissional e simpático, porém, um pouco lento. Nada muito grave.

Neste dia, estava com pouca fome e pulamos a entrada. Comecei com um surpreendente ravioli de abóbora e queijo de cabra com manteiga de sálvia e nozes pecã.

Ravioli de abóbora e queijo de cabra com manteiga de sálvia e nozes pecã

A porção é pequena, pois supõe-se que você vai comer uma entrada e sobremesa também. Não pense em comer somente o prato principal se não estiver com pouca fome de verdade!

Já o sabor é excelente. Simplesmente um dos melhores que comi em minha vida! Recomendo sem medo de errar!

A Glutinha foi no Gnocchi di ricotta di búfala, com molho de tomates italianos e linguiça caseira de nobre porco. Disse-me ela que estava muuuito bom, mas que o meu estava melhor. Eu provei e gostei desse gnocchi, mas concordo que o meu ravioli estava mais gostoso.

Gnocchi di ricotta di búfala

Como sobremesa, pedi a “Deliciosa sobremesa sem nada de açúcar”, uma torta fina de ganache de cacau com sorvete vegano de baunilha e banana. Taí um doce imperdível! Para os chocólatras, então, é obrigatório. E você ainda fica com a consciência tranquila de ter comido uma sobremesa sem nada de açúcar… Ai que ironia…

Deliciosa sobremesa sem nada de açúcar

A Glutinha escolheu o mousse de chocolate. Os biscoitinhos estavam deliciosos, bem macios, desmanchavam na boca. Já o mousse, achamos doce demais. E como a sobremesa era grande, ficou um pouco enjoativo.

Mousse au chocolat com shortbreads

Neste dia, havia mais pessoas conosco, que provaram a Prejereba grelhada (o nome engraçado é, na verdade, uma espécie de corvina), o polvo e outros pratos, todos elogiados. Entretanto, nossa política é só publicar fotos dos pratos que provamos. Mas não se preocupem, pois certamente voltaremos e comentaremos as demais opções!

Com relação aos preços, é um restaurante caro. O Ravioli sai por R$ 49,00, o gnocchi por R$ 58,00, o mousse R$ 29,00 e a minha sobremesa “light” sem nada de açúcar custa meros R$ 28,00. Caso queiram ver o preço dos demais pratos, no site do Arturito tem tudo.

Para resumir, nossa sensação é de queremos voltar, mas os preços nos farão pensar duas vezes.

Arturito:

Rua Artur de Azevedo, 517, Jd Paulista, São Paulo

Tel: (011) 3063-4951

Site: www.arturito.com.br

Horários (é, eu também achei complexo…): 2a das 19 à meia-noite; terça a quinta das 12h às 15h e das 19h à meia-noite; sexta das 12h às 15h e das 19h à meia-noite e meia; sábado das 12h30 às 16h e das 19h à à meia-noite e meia; domingo das 12h30 às 16h.

Se gostou do post, siga o @EstomagoFeliz no Twitter.

Restaurant Week 2011 – Becco 388

Para nossa tristeza, o São Paulo Restaurant Week 2011 está acabando. A semana até que foi boa. Fomos no La Marie, no Becco 388 e no Bargaço.

Nossa penúltima visita foi ao Becco 388, um restaurante pequeno e charmoso.

Fizemos a reserva com muita antecedência, há 2 semanas. Curiosamente, ao pedirmos a reserva para 20:30, fomos informados que eles só tinham para 20:15. Ficamos imaginando como deve ser a logística de um restaurante para conseguir essa precisão toda  na reserva. Mal sabíamos os problemas desse sistema just in time!

Chegamos pontualmente às 20:15. O serviço começou com um couvert (fora do menu do Restaurant Week, acrescentando mais R$ 11 por pessoa) simples e saboroso: mini pães (um francês e outro integral), molho com redução de aceto balsâmico e  uma espécie de bolinho de cream cheese de catupiry com ervas.

Couvert: cream cheese com ervas

Pães e molho

Como entrada, todos escolhemos os dadinhos de bresaola. São mini croquetes de bresaola, com queijo gorgonzola e amêndoas, servidos com geléia de mirtilo. Outra escolha que valeu muito a pena!

Dadinhos de Bresaola

Mal acabamos de comer, já vieram os pratos principais, numa rapidez que lembrava pit stop de corrida de Fórmula 1!

Eu escolhi o risoto de costela. Estava excelente! Arroz al dente, bem molhadinho, costela macia e sem gordura, e ainda tinha o tal do cebolini por cima que adoramos!

Risoto de costela

Já a Glutinha foi de linguini ao molho cremoso de queijo de cabra e limão siciliano, lascas de salmão marinado em ervas e cogumelos selvagens grelhados. Gostei muito principalmente pelo contraste de sabores.

Novamente, nem bem repousei os talheres sobre a mesa e já veio a turma do Pit Stop trocar os pratos. Quase tiraram o prato da Glutinha antes que ela tivesse terminado. A frase do garçom apressado foi o máximo: “ah, a senhora ainda não terminou?”. Infelizmente, ela estava mastigando e não pôde responder…

Penúltima volta! A bandeira quadriculada nos espera!!! E lá vieram as sobremesas: vanilla bomb na taça de martini (sorvete de vanilla sobre bolinho de laranja, gengibre e pistache envolvido com merengue mole brûlée e calda cítrica de frutas) e brownie na taça de martini (brownie de chocolate com nozes sobre creme anglaise, sorvete de vanilla e coulis de frutas vermelhas).

Vanilla Bomb

Brownie

Gostamos das duas, mas o brownie foi o meu preferido: bem molhadinho e com o chocolate bem pronunciado. Pena que as sobremesas são pequenas. Com essa minha Cabeça de Gordo, eu comeria duas ou três facilmente!

E é claro que não pudemos conversar nem discutir direito as qualidades das sobremesas, afinal, o pessoal do @Becco388 estava no esquema drive thru! Em menos de dois minutos, dois garçons vieram oferecer o café. Mais 5 minutos e chegou a conta, sem que nem tivéssemos pedido!

Olha gente, o restaurante estava cheio, a fila de espera enorme, mas nada justifica esse mau atendimento. Quando vamos a um restaurante, buscamos momentos de prazer que incluem uma boa comida, uma boa conversa, sem pressa, e com pessoas treinadas para nos proporcionar uma experiência agradável.

No Becco 388, a comida estava muito boa. Entretanto, quase fomos tocados para fora do restaurante. Comemos em 1 hora e 15 minutos em pleno sábado a noite. E o garçom ainda ficou surpreso por não pagarmos os 10%!

Vamos torcer para que tenha sido falta de experiência dos proprietários com momentos muvuca e para que eles treinem seu pessoal para as próximas. É uma pena um local com uma comida tão boa ter um atendimento tão ruim!

Não percam nossos próximos posts e sigam o @EstomagoFeliz no Twitter!

Restaurant Week 2011 – Becco 388
Rua Mato Grosso, 388 – Higienópolis – São Paulo
Telefone: (11) 2361-0388
Site: http://www.becco388.com.br/
Twitter: @Becco388

Conhece a Rosa Maria?

09/02/2011 1 comentário

Nós conhecemos num almoço de sábado! Ou melhor, conhecemos um pouquinho de sua história e muito de sua farofinha de banana! Já passava das 4 da tarde quando tomamos coragem pra sair de casa em busca de uma comidinha gostosa e, principalmente, de um lugar com ar condicionado (parêntesis pra dizer que estes dias me lembram demais a – literalmente – calorosa temporada que passamos em Belém!).

E assim, chegamos ao restaurante Rosa Maria, um lugarzinho muito agradável, de atendimento simpatissíssimo e, o melhor, ultra fresquinho! Escolhemos uma mesinha no andar superior, nesse horário o restaurante já tava bem calminho. Logo de cara, uma moça bonita e bem simpática nos apresentou  ao garçom que iria nos atender. Ele também fez bonito, foi atencioso e sem exageros. Nos contou um pouco da história da Rosa Maria e trouxe o menu.

Atualmente, além dos pratos usuais, há um menu de verão. Dele, escolhemos como entrada um gaspacho e do menu “de sempre” um ceviche. A sopinha fria de tomate e pimentão estava ótima. No ponto. Já o ceviche… Bem, houve controvérsias. Eu achei que o tempero tava acentuado demais, que tinha cebola e ervinhas demais, o limão também achei demais. Não deu pra sentir o peixe. Já o Cabeça de Gordo achou tudo ok (coma o ceviche e volte aqui pra nos dar sua opinião, por favor). As duas entradas vieram acompanhadas de
torradas.

Gaspacho

Ceviche à Rosa Maria

De principal, pedimos paleta suína à Torremocha com farofa de ovo na manteiga com banana. Agora vamos às explicações: Torremocha é uma região da Espanha de onde vem o modo de preparo da paleta. São 24 horas de forno, fogo baixinho. Daí vem o tempero e mais umas horinhas de forno. Desmancha na boca, meu povo!!! A farofinha é o que há nessa combinação! Suave, molhadinha, equilibrada na banana e na manteiga. Ela é toda elogios. O atencioso garçom explica: seguindo a tradição de d. Rosa Maria, os pratos são fartos, dá pra dois tranquilamente, e vêm em travessas pra gente mesmo se servir.

Minutinhos depois vieram as travessinhas e fatias de pão francês pra gente “chuchar” no molho da paleta. Que ideia ma-ra-vi-lha! Nos deliciamos e comemos tudo que foi possível. Mesmo assim, ainda restou o suficiente pra gente levar uma quentinha pra casa.

Paleta suína à Torremocha

Farofa de ovo na manteiga com banana

Infelizmente, não coube a sobremesa. Então fica aqui a dívida de voltar lá pra completar a refeição e fazer um adendo neste post. Na hora da conta,  conhecemos um dos donos do Rosa Maria e ele completou a história sobre a senhorinha portuguesa, pioneira na publicação de um livro de culinária. Mesmo sem parentesco algum com os donos, d. Rosa Maria é forte lembrança da infância de dois dos sócios, uma vez que a mãe deles cozinhava usando basicamente esse livro.

Gente, olha a combinação: comida boa, preço justo, atendimento atencioso, farofinha matadora.

Nesse almocinho de sábado à tarde pra duas pessoas (entrada + principal + bebidas) gastamos R$99.

O restaurante Rosa Maria fica na rua Purpurina, 107, na Vila Madalena. Bem na esquina com a rua Harmonia.

Gostou deste post? Então, siga-nos no Twitter: @EstomagoFeliz

Ps. Por coincidência, hoje vi que o restaurante Rosa Maria está no Groupon. Aproveitem pra pagar mais baratinho e voltem aqui pra comentar se concordaram ou não comigo!

Categorias:São Paulo, Variados