Arquivo

Archive for the ‘Árabes’ Category

Roteiros gastronômicos em São Paulo

Hoje, resolvemos fazer um roteiro para um fim de semana prolongado, com uma seleção dos melhores restaurantes de São Paulo já blogados por aqui.

Pra facilitar ainda mais a sua vida, dividimos os restaurantes naquelas duas fases do mês: aquela em que estamos ricos no VR e todo dia queremos fazer uma pequena… Ou grande… Ou enorme… Estravagância!!! E aquele período em que VR e salário já acabaram faz tempo:

Para a fase “Tô rico no VR”, nossas dicas são:

Dia 1 – Almoço – Feijoada super tradicional e famosa: Star City ou Bolinha (nessa ordem de preferência)

Caso prefira opções um pouco mais em conta, mas não tão tradicionais, também sugerimos: Casa da Lana, Feijoada da Lana e Pompéia Bar.

Dia 1 – Jantar – Japonês para compensar o pé na jaca do almoço: Sushi Kiyo 

Dia 2 – Almoço – Bistrô Italiano: Arturito

Dia 2 – Jantar – Bistrô Francês: Le Vin ou Le Bouchon

Dia 3 – Almoço – Carnes: El Tranvia

Dia 3 – Jantar – Contemporâneo: Carlota

 

Agora, se você está naquela fase “Salário, chegue logo que eu quero lhe usar!”, nossas sugestões são:

Dia 1 – Almoço – Feijoada boa e barata: Feijoada da Dona Marisa

Dia 1 – Jantar – Japonês: Mugui ou Sukiyaki House

Dia 2 – Almoço: Feira da Kantuta ou Al Árabe

Dia 2 – Jantar: Jorge

Dia 3 – Almoço – Bar do Biu

Dia 3 – Jantar – Porco Rei

Não gostou dessas opções? Na categoria São Paulo tem mais de 60 posts para você personalizar o seu roteiro.

E rico ou não no VR, sempre vale uma passadinha no Doce de Laura para comer um pudim de claras ou no Stuzzi para um sorvetinho!

Laffa Kebab Store – uma grata surpresa

Sabe aqueles dias que você não está procurando um restaurante especial e resolve dar uma chance àquele lugar que sempre passa em frente, mas nunca botou muita fé?

Pois foi num dia assim que resolvi entrar no Laffa, um fast food com cara de rede, que não teria nada demais, e eis que fiquei super fã de um kebab vegetariano, o Sabich:

Sabich

Sabich

Por outro ângulo

Por outro ângulo

O Sabich leva ovo cozido, homus, beringela frita, salada de repolho, salada árabe e molho de tahine.

É tão bom que ainda não consegui provar as outras opções!

Esse da foto é o pequeno, mas tem o grande também, que é o dobro desse aí.

O preço é ótimo: cerca de R$ 18,00, por esse kebab e um refri.

Eles possuem duas unidades, no Leblon e Ipanema, e também aceitam pedidos online ou por telefone:

Ipanema: Rua Visconde de Pirajá, 175

Leblon: Rua Cupertino Durão, 96

Categorias:Árabes, Rio de Janeiro Etiquetas:

Comendo em Foz do Iguaçu – comida árabe é o que há!

A gente tava ligado que havia uma comunidade árabe bem grande em Foz do Iguaçu. E onde há pessoas árabes, há comida árabe de primeira, claro!

E foi assim, meio perdidos pelas ruas de Foz do Iguaçu que esbarramos num moço bem sorridente operando uma máquina de churrasquinho grego. Com um sotaque carregadão, ele nos apontou a rua que procurávamos, mas…

Graças ao bom Alá, o lugar que procurávamos já estava fechado e decidimos voltar ao moço simpático do churrasquinho!

Genteeee…foi sem dúvidas, a melhor decisão que tomamos, sem dúvida!

E aí que decidimos tomar um lanchinho que acabou virando janta de tão bom:

Máquina de Kebab: o popular churrasquinho grego!

Máquina de Kebab: o popular churrasquinho grego!

À esquerda tem carne e à direita tem frango. Aí também tem tomate, molho de cebola, coalhada seca, batata frita (!) e mais um monte de outras coisas nessas prateleiras.

Máquina de Kebab: o popular churrasquinho grego!

Máquina de Kebab: o popular churrasquinho grego!

Kebab de carne - olha quanta coisa boa tem aí dentro

Kebab de carne – olha quanta coisa boa tem aí dentro

Não podia faltar, claro:

Esfihas de Carne com alho e Coalhada com hortelã

Esfihas de Carne com alho e Coalhada com hortelã

E kibe com recheio generoso:

Kibe de carne (mas tinha de coalhada e queijo também)

Kibe de carne (mas tinha de coalhada e queijo também)

Como a gordice tava rolando solta, quisemos repeteco do kebab, só que agora de kafta:

Kebab de Kafta

Kebab de Kafta

Tava tudo excelente! E a conta foi ainda melhor, R$29,50 (tudo isso mais dois refris de 600ml)!

Pra fechar a noite com chave de ouro, corremos na portinha vizinha e pedimos este doce ma-ra-vi-lho-so:

Doce árabe

Doce árabe

Repare que o doce não está nadando naquela calda melada de água de laranjeira que geralmente vemos aqui em São Paulo. É assim que os libaneses comem e não podia ser mais perfeito!

Vai pra um finde romântico nas Catataras do Iguaçu? Anote aí estes endereços:

Casa da Esfiha Beirut
Avenida Juscelino Kubitschek, 453
Centro – Foz do Iguaçu
Tel. 45 3523 5507

Casa da Esfiha Istambul (doce) 
Avenida Juscelino Kubitschek, 439
Centro – Foz do Iguaçu
Tel. 45 3523 0222

Comendo na Cidade do México – Taquería El Califa

Ficamos meio atrasados no blog porque estávamos de férias na Cidade do México. E que cidade buena onda, pessoal!

Sabe aqueles clichês da poluição absurda, da violência sem fim, dos nomes duplos e das mulheres ultra maquiadas? Bem, exceto pelas mulheres ultra maquiadas, a Cidade do México não tem mais nada disso! E, pela conversa que tivemos com alguns chilangos, essa fama já não faz mais parte da realidade deles há muito! Assim como a Maria del Barrio y el Chavo del Ocho. (Que decepção essa parte do Chaves!)

Falando de comida, os sabores e as composições são ultra diferentes daquelas tex-mex que conhecemos aqui em São Paulo, e por isso mesmo, é preciso ir com a cabeça e com o estômago abertos à experimentação.

Vamos começar pelo básico da culinária mexicana: TACOS!

É diferente! Taco lá é a tortilla de milho ou trigo com alguma cobertura. Tipo uma mini-pizza!

Na primeira e na última noite, fomos na Taquería El Califa, uma rede bem conhecida e recomendada pelo pessoal do B&B onde estávamos hospedados (vamos falar do B&B Red Tree House na sequência). Por isso tem tanta foto…

Vejam só o que provamos no El Califa:

Chicharrón de queso de Oaxaca

Chicharrón especial con queso, cilantro y cebolla

Chicharrón é um negócio tipo torresmo de porco. No El Califa, eles fizeram uma versão de queijo, uma crostra, bem fininha e salgada (lembra provolone desidratado). Pode ser só o queijo ou nesta versão especial com coentro e cebola! Super gostoso e gordito!

Tortillas de milho quentinhas...

Tortillas de milho quentinhas…pra comer com o chicharrón

Taco de queso de Oaxaca

Taco de queso de Oaxaca

Vou confessar: quando eu pedi um taco de queijo, não era bem isso que eu estava esperando…

Tacos al pastor gringa arranchera
Tacos al pastor gringa arranchera

Esse merece destaque, pois o “taco al pastor” é o tipo mais tradicional de taco que se pode comer em Mexico D.F.

A palavra ‘pastor’ tem a ver com o modo como a carne é feita: marinada, temperada com várias ervas, churrascada na grelha vertical giratória, tipo churrasquinho grego. Ela é servida com coentro (obrigatório no prato dos mexicanos), cebola crua picadinha e pedaços de abacaxi!

A parte “gringa” do nome é por causa do queijo e da tortilla de trigo. A parte arrachera é o nome do corte: contra-filé.

Costra de Gaona - filé mingnon enrolado numa crostra de queijo

Costra de Gaona – filé mingnon enrolado numa crostra de queijo

Tudo pra comer com muita pimenta:

Salsas: vermelha, verde, tamarindo e "assada"  - Viva a pimenta mexicana!

Salsas: vermelha, verde, tamarindo e “assada” – Viva a pimenta mexicana!

E pra beber…refrigerecos:

Lulu  (sabor vermelho com açúcar!) e Senorial (refri de sangria!)

Lulu (sabor vermelho com açúcar!) e Senorial (refri de sangria!)

Chaparritas - refrigereco mexicano

Chaparritas – refrigereco mexicano

Mundet - refri de maçã

Mundet – refri de maçã

Teve também cervejinha de chocolate e café feito na panela:

Bohemia - cerveja de chocolate

Bohemia – cerveja de chocolate (nada a ver com a Bohemia brasileira)

Café de olla - café, canela, açúcar mascavo, tudo fervido numa panela!

Café de olla – café, canela, açúcar mascavo, tudo fervido numa panela!

Melhor de tudo? O atendimento é super simpático! Na maior paciência nos explicaram o que era cada coisa.

Ah, o preço é muito camarada! O mais simples saia por cerca de R$2 e o mais caro R$11!!!!!

Taquería El Califa
Calle Altata, 22
Colonia Condesa – Cidade do Mexico
Veja as outras unidades do El Califa em www.elcalifa.com.mx

Byblos ou Chez Nohad?

Quando o Chez Nohad fechou, ficou uma lacuna em nossos estômagos! Se você não teve a chance de conhecer, explico: comida 1/2 marroquina, 1/2 libanesa num restaurante bonito e com atendimento ótimo nos Jardins!

Passa ano, entra ano, ficamos sabendo que há uns dois meses a dona do extinto Chez Nohad tinha aberto um restaurante chamado Byblos no Campo Belo e corremos pra lá.

A chef é a mesma, a Nohad. O restaurante e o cardápio são bem diferentes.

O Byblos é pequeno e tem uma pegada mais pá-pum, se é que você me entende! É pra comer uma coisinha a tarde, ou almoçar um prato mais rapidinho. Nada a ver com a idéia de grande almoço ou jantar bacanudo como na época do Chez Nohad (não que isso seja negativo).

O cardápio está em fase de crescimento e o bacana é que o garçom nos perguntou qual seria nossa sugestão! Aí ressuscitamos algumas das boas lembranças que o Chez Nohad deixou.

Foco no presente, veja o que comemos no Byblos:

Esfiha de linguiça libanesa com queijo de cabra e tomate

Esfiha de salame árabe com queijo de cabra e tomate

Eshiha de carne

Eshiha de carne

No detalhe

Recheio no detalhe

De pratos mesmo, tem pouquíssimas opções (tem mais porções, sandubs tipo charwarma e petisquetes). O garçom nos recomendou o prato Byblos: carne moída feita na manteiga, quibe cru, castanha de caju e homus acompanhados de pãozinho árabe:

Prato Byblos

Prato Byblos

Uma porção bem servida, deu pra duas pessoas com apetite moderado. (há, há! Nós somos moderados!!)

O sabor da manteiga, a cebola, a castanha e as carnes crua e cozida, mais o hortelã, tudo junto e misturado fica muito show!!! Super gostei!

A esfiha de carne tava boa, mas nada de extraordinário. Já a de salame árabe, U-A-U!

Sugestão: não deixe de visitar o Byblos, mas vá sem pressa. O serviço é demoradinho, mas vale esperar!

Byblos
Rua Gabriele D’Annunzio, 1340, Campo Belo
Tel.: 2645-5177

PS. Essa rua é bem charmosinha, tem outros restaurantes, cafés e lojinhas simpáticos. Pra sobremesa, atravesse a rua e vá ao Café Les Fleurs.

Categorias:Árabes, São Paulo Etiquetas:, , ,

Avaliamos mais um restaurante árabe: Chez Yunes!

Hoje, temos uma novidade: vamos escrever sobre um restaurante carioca, o Chez Yunes.

O Chez Yunes já foi escolhido pela Veja como o melhor restaurante árabe do Rio, entretanto, devo dizer que não fiquei muito satisfeito com o que provei lá. Eles trabalham com rodízio (preço oficial de R$ 29,00/pessoa, durante a semana, porém, estavam com uma promoção no dia que fui e gastei R$ 29 reais com refrigerante e serviço inclusos) ou com pratos à la carte.

O serviço não é o forte do lugar.  As garçonetes espalham as porções na mesa de forma displicente e conforme conseguem servir, não de acordo com a velocidade com que você come.

Quanto aos pratos, o tabule é preparado com bastante salsinha, do jeito que eu gosto (desculpem a foto ruim!):

Tabule

Estava bom, mas o meu preferido ainda é o do Al Badah, de São José dos Campos, SP.

As esfihas são do tipo folhadas e estavam muito duras. Não gostei. Já os kibes, estavam bons, mas nenhum destaque positivo ou negativo.

Kibes e esfihas

A colhada e o pão sírio também não mereceram destaque positivo nem negativo. Estavam bons, mas não excepcionais.

Coalhada seca

Pão sírio

O homus, babaganoush e as berinjelas grelhadas estavam excelentes. Todos tinham um aroma defumado delicioso.

As berinjelas ainda eram grelhadas com alho e óleo e recebiam uma pitada de zátar. Foi o melhor prato que comi lá. Este sim, eu recomendo!

Babaganoush

Homus

Berinjela grelhada ao alho e óleo

Os charutinhos estavam saborosos, porém, salgados demais, principalmente os de uva.

Charutinhos de folha de uva e de repolho

A kafta estava ruim. A consistência parecia de um embutido.

Kafta

Conclusão: fiquei decepcionado com o que deveria ser um dos melhores restaurantes árabes do Rio. Eles possuem pratos excelentes como a berinjela grelhada, as pastas não comprometeram, nem o tabule, mas falham feio na kafta, por exemplo.

O preço é bom, o ambiente é simples e o atendimento deixa a desejar.

Caso queiram nos dar a sua opinião, mandem uma mensagem para o @EstomagoFeliz no Twitter.

Chez Yunes

Avenida das Américas, 3555, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – Shopping Barra Square

Tel: (021) 2431-4101

Horários: domingo a 5a, das 12h à meia-noite; 6a e Sábado, das 12h às 2h.

Categorias:Árabes, Rio de Janeiro

Al Árabe – um restaurante árabe-mexicano

Uma de nossas manias é provar restaurantes bem simples, ou verdadeiros botecos, na esperança de encontrar uma boa comida escondida sob fachadas que muitas vezes não atraem nossa atenção. É bem verdade que, na maioria das vezes nos decepcionamos, mas não foi este o caso.

E desta forma, conhecemos o Al Árabe: num dia de trânsito em São Paulo, passando pela Artur de Azevedo, em Pinheiros, notei um toldo amarelo, com uma singela placa identificando esse simpático restaurante:

Fachada do Al Árabe

Não sei bem porque eu simpatizei com o local, mas decidi que o visitaria um dia desses.

Além de servir uma comida muito saborosa, os donos são super simpáticos. O Jorge é mexicano e descendente de sírios. Em uma viagem à Síria, conheceu a Hala, uma cozinheira de mão cheia, como diria o meu pai. Eles se apaixonaram, casaram-se e foram morar na Cidade do México, onde abriram um restaurante. Algum tempo mais tarde, decidiram se mudar para São Paulo e criaram o Al Árabe. Sorte a nossa!

Nós já provamos quase todos os pratos de lá. Dentre os quais, destacamos:

Sanduíche de Sujoc

Sujoc é uma linguiça árabe temperada com 21 especiarias, salsinha, cebola e pimenta calabresa. Acompanha homus, tiras de alface e tomate. É um pouco condimentada, mas é um dos meus favoritos.

Uma opção que mescla as origens e ascendências dos proprietários é o Kebab Mexicano, que leva tiras de contra-filé marinados no molho especial da Hala, grelhado na chapa com cebola, pimentão, linguiça defumada, bacon e guacamole. Porém, só está disponível às 3as e 5as.

Kebab Mexicano

Aos sábados e feriados, você pode provar alguns pratos especiais, como o Fatti: pão sírio tostado, cubos de costela e músculo combinados com grão de bico cozido, molho de coalhada, hortelã e alho, coberto com amêndoas, pinholi e nozes salteados na manteiga.

Fatti

A carne é um pouco gordurosa, mas o molho de coalhada é excelente e combina muito bem com os demais ingredientes.

Acompanha  arroz sírio e dá para duas pessoas de apetite mediano.

Arroz sírio

Vale a pena provar os salgados também. Minha preferida é a esfiha de carne, mas há ainda a de verdura, de zátar, quibe…

Esfiha de carne

Kibe

E o que não pode faltar é o molho apimentado do Jorge, cuja receita ele não revela, mas é uma mistura de azeite, pimenta, salsinha e especiarias. Vai muito bem com as esfihas de carne!

Molho apimentado do Jorge

Para beber, nossa sugestão é a limonada Al Árabe, que é uma limonada com água de rosas.

Limonada Al Árabe

Dentre as sobremesas, a mais famosa é o Arroz Doce Al Árabe, preparado com água de rosas e laranjeiras, miski, geléia de damasco, amêndoas, pistache e mel:

Arroz doce Al Árabe

Essa é uma das especialidades da Hala, figurando no cardápio em uma seção intitulada “Só a Hala sabe fazer”. É muito diferente do que estamos acostumados a provar. Particularmente, gosto mais dos pratos salgados, mas provar este doce é uma experiência gastronômica que eu recomendo por ser algo difícil de encontrar em outros lugares.

Por último, provem o café Al Árabe. Os grãos de café são escolhidos pelo Jorge e moídos com algumas especiarias, como o cardamomo. O café é fervido, mas não é filtrado. Após servido, espera-se alguns minutos para o pó decantar e está pronto.

Há diversos outros pratos interessantes, como o prato número 1 (2 kaftas cobertas  com molho de tahine, arroz sírio, tabule e homus) e o prato número 6 (2 porções de sujoc, com arroz sírio, babaganoush e tabule), ambos muito bons.

Com relação ao preço, é um local onde se gasta cerca de R$ 25 a 30 reais por pessoa. Na última vez que fomos, um prato custava cerca de 17 a 25 reais, a limonada R$ 3,50 e o arroz doce R$ 10,00.

O atendimento é ótimo. Tanto o Jorge quanto a Hala são muito simpáticos e atenciosos.

O ambiente é simples, pequeno e com ar condicionado, porém, com o ambiente fechado, o cheiro de comida fica um pouco impregnado na roupa. E você pode ter que esperar uns bons minutos nos horários de pico, durante a semana.

O Al Árabe fica na Rua Artur de Azevedo, 1919, São Paulo.

Obs: o local indicado pelo Google Maps não está muito preciso. Na verdade, o restaurante fica quase na esquina com a Pedroso de Moraes, do lado esquerdo da rua.

Tel: (011) 2533-0474

Horários: de 2a a 6a das 9 às 20hs; sábado das 9 às 18hs.

Se gostou deste post, siga-nos no Twitter: @EstomagoFeliz.