Arquivo

Archive for the ‘Alemaes’ Category

Maria Escaleira – comida polonesa, do Leste Europeu e da minha infância!

30/05/2012 1 comentário

Havia tempos que eu pedia pra Nossa Senhora dos Estômagos Aflitos uma luz, ou melhor, um pierogui (lê-se pierôgui)! Queria muito encontrar um restaurante russo aqui em São Paulo pra matar a saudade dessa comidinha que aprendi a gostar qdo criança.

Na verdade, só descobri o nome dessa comida há uns 3 anos, numa viagem ao Canadá e por acidente. Fui num restaurante em Vancouver, olhei o cardápio com aquela cara de “credo, parece que tá tudo em russo!”, fiz uni-du-ni-tê e pedi qualquer coisa.

O destino foi muito bom comigo e me fez, finalmente, ligar os pontos! PIEROGI é o nome do meu amor do passado!

Tá, explico, resumidamente: pelos primeiros 18 anos da minha vida, tive duas vizinhas russas de verdade. Fugitivas de guerra e tudo! Já senhorinhas, desde que me lembro delas, elas viviam compartilhando algumas gostosuras com a vizinhança! Foi com elas que conheci o chucrute também, a propósito!

Os “pasteizinhos de D. Sofia” (nome que vou usar pra sempre, embora já saiba o verdadeiro) marcaram a minha infância. Lembro da D. Sofia dizer que só dava pra fazer um bom ‘pastelzinho’ com ingredientes importados. Era tudo especial: a farinha, a manteiga e o queijo.

Demorava pra ela conseguir toda essa listinha de importados (quem nasceu depois do Collor não sabe do que eu tô falando!), mas quando ela conseguia, era uma festa na minha casa!

Quando a D. Sofia partiu desta para uma cidade melhor (uma verdadeira sobrevivente, viveu por muito tempo ainda e se mudou para Bragança nos últimos anos de vida!) , foi um chororô na minha família!

Mas, voltando à descoberta da semana, tem mais uma historinha nesta historiona: como chegamos ao restaurante “Maria Escaleira, comida polonesa e do leste europeu”.

O Cabeça conheceu um ucraniano recentemente, puxou papo na esperança de conseguir alguma informação privilegiada sobre um restaurante de gueto, sei lá, mas num teve êxito! Aí, revoltado com a dificuldade de encontrar um tipo específico de culinária em SP (que supostamente tem de tudo, né!) empreendeu uma árdua busca em nome do amor (no caso, euzinha!).

E foi assim que, no fim de uma quinta-feira atribulada, recebi um convite pra ir jantar num restaurante surpresa!  (achei que ia rolar uma coxinha do Jorge, juro!)

Massss…”pra nossa alegria”, chegamos ao “Maria Escaleira, comida polonesa e do leste europeu”, restaurante recém-aberto que completava 3 meses de vida no 1055 da rua Cônego Eugenio Leite em Pinheiros. 

Confesso que nem olhei o cardápio direito. Pedi logo, ele, o salivado: pierogi.

Finalmente, as fotos:

Pierogi (ou perogi, pierogy, perogy, pierógi, pyrohy, pirogi, pyrogy, pierożki)

Pierogi (ou perogi, pierogy, perogy, pierógi, pyrohy, pirogi, pyrogy, pierożki)

A descrição do cardápio: Ravióli polonês, com queijo branco e creme de batatas com ervas, servido com ou sem bacon crocante.

(longe de ser aquele das minhas memórias, mas muito bom comparado a muitos que já encontrei por esse mundão afora!)

Agora no detalhe:

pierogi

pierogi

Esse close é pra destacar a cara de massa mal cozida que o pierogi precisa ter pra ser bom. Lembro que quando vi pela primeira vez o pastelzinho da D. Sofia, achei que tava semi-pronto, que precisava ir ao forno, fritar, sei lá.. há, há, há! A manteiguinha dá o toque, só dispensava o bacon mesmo!

Golabki

Golabki

Coberto por um molho de tomate muito bom está um charuto polonês de repolho recheado com carne e arroz. Acompanha um purê de batatas com gergelim (vou imitar!), e esse molhinho de cenouras incrível! Tudo junto e misturado fica uma super delícia!

De sobremesa, pedimos o Sernik, um bolo de queijo com pedaços de pêssego. Tava bem gostoso, doce na medida, lembrou demais um cheese cake, mas não que isso seja negativo.

Sernik

Sernik

A sobremesa saiu por R$14, os pratos por R$26 e alguma coisa cada um.

De contra: ficamos com cheiro de comida na roupa e eu odeio isso. Além disso, como o restaurante fica num sobradinho com várias salinhas, por vezes, foi difícil chamar a atenção do garçom.

Mas, nada que a força do pierogi não supere. Além disso, quero provar outros pratos comos os impronunciáveis: Zawijance, Szarlotka, Ciasto Porzeczkowe…só pelos nomes dá água na boca! rs!

Confiram e nos contem:

Maria Escaleira Restaurante – Culinária Polonesa e do Leste Europeu
R. Cônego Eugênio Leite, 1055 – Pinheiros
TEL.(11)2364-9913
www.mariaescaleira.com.br
ps. um detalhe: o pierogi tem diversas versões nos diferentes países do Leste Europeu. O do post de hoje é polonês, mas se alguém souber de um restaurante russo por aí, me avisem, pelamordedeus! Pode ser pelo twitter (@EstomagoFeliz), por e-mail (memoriasdeumestomagofeliz@gmail.com) ou pela nossa Fan Page no Facebook!

Categorias:Alemaes, Poloneses, São Paulo Etiquetas:,

Restaurant Week 2011 – Weinstube

Guiados pela vontade superior de comer bem, enfrentamos o cansaço de fim de semana e o trânsito horrendo da sexta-feira para chegar ao restaurante alemão Weinstube, no Clube Transatlântico, bairro Chácara Santo Antônio.

O lugar é pitoresco. Parecia que estávamos em outro tempo, em outro país. Tinha um quê de anos 80 (as paredes são de madeira trazida da Alemanha e os clientes são muito estilinho), tem um ar conservador que se nota pelos nomes nas portas (Sala de “Café da Manhã da Diretoria”, banheiros são marcados por ‘S’ e ‘H’!), uma sofisticação muito retrô, enfim, um lugar óóótemo pra você ir com seu avôs alemães.

Registrado isso, vamos a uma questão existencial: “Hey, Weinstube, cadê  o joelho de porco?”.

Gente, olha só o cardápio do Restaurant Week:

Entradas:
– Gazpacho verde (sopa fria de pepino, maçã verde, espinafre, cebola, alho, agrião e capim-limão com croutons de azeite) ou; (2 em 4 pediram este!)
– Envolto de Aspargo (aspargos verdes envoltos em massa Phyllo, servidos com molho de manteiga com ervas e bouquet de salada). (1 em 4 pediu este)

Pratos principais
– Medalhões de Filé Suíno com Presunto cru e Chantilly de Páprica servidos com Spätzle e legumes de verão (3 em 4 pediram este);
– Risotto de Caju com Camarões grelhados ao molho Bisque; (ninguém pediu!)
– Abobrinha recheada com Ratatouille ao perfume de orégano servida com molho de Parmesão e cuscuz de Quinua (ah, pelamordedeus!).

Sobremesas
– Taça de Verão (sorbet de frutas vermelhas e de limão com salada de frutas, Cointreau, iogurte natural e hortelã) ou; (supreendemente bom!)
– Terrine de frutas da estação com creme inglês e croutons de pão Kümmel. (surpreendentemente bonito!)

Ok, ok…dizer que alemão só come joelho de porco é igual a dizer uma coisa que me irrita muito: japonês só come sushi e sashimi! Mas nos admirou muito que não houvesse nenhuma opção com um prato mais típico e conhecido do público aqui no Brasil. O chucrute foi pro brejo quando demos uma olhadela no cardápio fixo do restaurante. O Cabeça de Gordo não resistiu e montou seu próprio menu:

– Goulash de entrada; (um ensopadão de carne, páprica e legumes)
– Schweinshaxe: Eisbein com chucrute e batatas sauté de principal; (o joelho de porco mais quisto da noite, repolho e batatas)
– Sacher Torte de sobremesa. (torta típica de chocolate)

Aí vem a parte boa de sair pra jantar com pessoas da sua confiança. Éramos 4 indivíduos de bom coração, generosos e sem frescura de garfar o prato do outro. Sendo assim, rolou o maior troca-troca gastronômico ever! Melhor, pois eu pedi Gazpacho verde de entrada, mas comi o Envolto de aspargo e também colherei o Goulash!  A mesma lógica se aplica ao prato principal. Pedi o filé suíno e me esbaldei no Eisbein. De sobremesa, escolhi o Sorbet, mas dei uma visitada na Terrine de frutas e acabei a noite na Sacher Torte!

O que tava super bom?
O Envolto de Aspargo, que era o aspargo fresco (óh!) envolto numa casquinha tipo rolinho primavera, tava saboroso, crocantíssimo e bem bonito.  O Eisbein também merece destaque: era um joelhão, tinha aquela crosta brilhante por fora, uma carne tenra e de lamber os dedos por dentro. O medalhão de carne de porco com presunto cru e Spätzle também mandou bem, a carninha tava show e se equilibrava em tempero com a massinha mais neutra. Pra terminar, o Sorbet de frutas foi a maior supresa! Não dei muito crédito só de ler a descrição, mas essa combinação toda ficou mega boa!

Envolto de Aspargos

Schweinshaxe, o impronunciável (joelho de porco, chucrute e batata sauté)

 

Medalhões de Filé Suíno com Presunto cru e Chantilly de Páprica servidos com Spätzle e legumes de verão

Taça de Verão (sorbet de frutas vermelhas e de limão com salada de frutas, Cointreau, iogurte natural e hortelã)

O que tava bem médio?
Eu não entendi o Gaspacho verde. Ele era feio, tinha uma espuminha tipo “acabei de sair do liquidificador”, os croutons ficaram moles no trajeto da cozinha à mesa e já chegaram molengas e obtusos (sim, croutons podem ser obtusos, oras!). Agora, o aroma, de fato, tava bom! O sabor nem tanto!  O Goulash ganha só “médio” porque eu achei ele meio ácido e também porque já comi outros muito melhores. A Terrine de frutas era a sobremesa mais bonita da mesa, boa mas meio sem gracinha. A Sacher Torte foi novidade pra mim, mas não curti muito a geléia/compota (acho que era de damasco) que faz parte da receita. Atirem-me pedras, mas torta de chocolate é só de chocolate mesmo!

Gaspacho Verde (olha a espuminha)

Goulash

Terrine de frutas

Sacher Torte

O atendimento foi ok, exceto pela nota fiscal paulista que demorou horas pra chegar! Por causa daquela olhadela no cardápio fixo, pretendemos voltar sim! (o cardápio tá no site, adoro isso!)

Acompanhe a gente neste tour de comilanças na próxima semana: @estomagofeliz.

Retaurant Week 2011  – Restaurante Weinstube
Clube Transatlântico – R. José Guerra, 130
Chácara Santo Antonio – São Paulo

Telefone: (011) 2133-8600
http://www.clubtransatlantico.com.br/gastronomia/weinstube.html

Restaurant Week 2011 – nossas escolhas e impressões da 1a semana

Como vocês devem saber, esta semana começou o São Paulo Restaurant Week 2011.

Nós somos fãs de carteirinha do evento e, como não poderia deixar de ser, planejamos nossas duas semanas para o aproveitamento máximo do evento. Pena não termos tempo de ir em mais restaurantes…

Bem… Hoje, resolvemos contar nossa seleção e o resumo da primeira semana.

O primeiro que provamos foi por acaso. Era ainda a semana reservada aos portadores do Master Platinum. Estava perto do Nakombi e resolvi almoçar por lá, afinal, como dissemos no post sobre o Nakomi, nossa primeira ida até que foi bem satisfatória. Eis que chegando ao restaurante, descubro que no almoço estavam servindo o menu do #SPRW para todos!

Depois eu escrevo um post mais completo. Mas, resumindo, o Kombinado de salmão tava bem médio. O sashimi levou nota 5, mas o peixe do sushi levou 3, de tão fibroso. Parece que eles usaram um peixe melhor para o sashimi e economizaram no sushi. Além disso, tinha uma aguinha no prato, sinal de preparação descuidada. Fiquei decepcionado. A salada estava razoável e o brownie com sorvete merece um ‘bacana’!

Nossa segunda visita foi ao Amazonia. Já postamos sobre ele. Lá, o que achamos engraçado é que os principais pratos da região ficaram de fora: pato no tucupi, maniçoba, etc. Mas gostamos da experiência e recomendamos!

O terceiro restaurante da lista foi o Folha de Uva, em um jantar com amigos. Outro que fui por acaso. O combinado era o Chez Nohad, mas ao chegar lá, descobri que estava fechado e o imóvel já está a venda. Uma pena. Sentirei falta… Mas, voltando ao Folha de Uva, pedi tabule como entrada, combinado de Kafta grelhada com arroz árabe e charutinho de uva como prato principal, e malabie de damasco como sobremesa. Sendo bem sincero, a comida é boa, mas você vai gastar pelo menos uns 50 reais nesse menu. Por este valor, eu prefiro o Halim, ou por muito menos, o Al Árabe ou o Al Badah (este último fica em São José dos Campos).

O quarto restaurante que provamos foi o Weinstube, o restaurante alemão do Club Transatlântico. A Glutinha e os demais foram no menu do Restaurant Week, mas eu não resisti às outras opções do cardápio e pedi três coisas que adoro: uma sopa goulash de entrada, eisbein (joelho de porco) com chucrute e batatas como  prato principal e sacher torte (torta de chocolate) como sobremesa. Estava tudo muito bom, mas a torta foi o destaque da noite! Quanto ao menu do Restaurant Week, recomendamos o envolto de aspargos (o gazpacho verde estava meio sem graça) como entrada, como prato principal provamos apenas o medalhão de filet suíno, que estava bom, e como sobremesa, tanto a taça de verão como a terrine de frutas estavam ótimas. Vejam o post completo sobre nossa visita ao Weinstube!

Hoje, iremos ao Shintori. Depois tem La Marie, Becco 388 e Bargaço. Queríamos ir ao Arturito também, mas na sexta passada já não estavam mais aceitando reserva.

Sigam o @EstomagoFeliz no Twitter e não percam nossos próximos posts sobre todos estes restaurantes!

Endereços e telefones:

Al Árabe

Rua Artur de Azevedo, 1919, Pinheiros – São Paulo

Telefone: (011) 2533-0474


Al Badah
– Vila Ema
(São José dos Campos)

Endereço: Rua Serimbura, 15, Vila Ema, São José dos Campos

Telefone: (012) 3923-2454


Amazônia

R. Rui Barbosa, 206, Bela Vista – São Paulo

Telefone: (011) 3142-9264 ou 9121-6196


Bargaço

Rua Oscar Freire, 1.189, Cerqueira César, São Paulo

Telefone: (011) 3082-2626


Becco 388

Rua Mato Grosso, 388, Higienópolis, São Paulo

Telefone: (011) 2361 – 0388 / 2361 – 2326


Folha de Uva

Rua Bela Cintra, 1435, Jardins, São Paulo

Telefone: (011) 3062 – 2564


Halim

Rua Doutor Rafael De Barros, 56, São Paulo

Telefone: (011)3884-8502


La Marie

Rua Francisco Leitão, 16, Pinheiros, São Paulo

Telefone: (011) 3086-2800


Nakombi

Rua Pequetita, 170, Vila Olímpia, São Paulo

Telefone: (011) 3845 – 9911


Shintori

Al. Campinas, 600, Jardim Paulista, São Paulo

Telefone: (011) 3283-2455


Weinstube

Rua José Guerra, 130, Chácara Santo Antônio, São Paulo

Telefone: (011) 2133-8600