Arquivo

Archive for Maio, 2012

Maria Escaleira – comida polonesa, do Leste Europeu e da minha infância!

30/05/2012 1 comentário

Havia tempos que eu pedia pra Nossa Senhora dos Estômagos Aflitos uma luz, ou melhor, um pierogui (lê-se pierôgui)! Queria muito encontrar um restaurante russo aqui em São Paulo pra matar a saudade dessa comidinha que aprendi a gostar qdo criança.

Na verdade, só descobri o nome dessa comida há uns 3 anos, numa viagem ao Canadá e por acidente. Fui num restaurante em Vancouver, olhei o cardápio com aquela cara de “credo, parece que tá tudo em russo!”, fiz uni-du-ni-tê e pedi qualquer coisa.

O destino foi muito bom comigo e me fez, finalmente, ligar os pontos! PIEROGI é o nome do meu amor do passado!

Tá, explico, resumidamente: pelos primeiros 18 anos da minha vida, tive duas vizinhas russas de verdade. Fugitivas de guerra e tudo! Já senhorinhas, desde que me lembro delas, elas viviam compartilhando algumas gostosuras com a vizinhança! Foi com elas que conheci o chucrute também, a propósito!

Os “pasteizinhos de D. Sofia” (nome que vou usar pra sempre, embora já saiba o verdadeiro) marcaram a minha infância. Lembro da D. Sofia dizer que só dava pra fazer um bom ‘pastelzinho’ com ingredientes importados. Era tudo especial: a farinha, a manteiga e o queijo.

Demorava pra ela conseguir toda essa listinha de importados (quem nasceu depois do Collor não sabe do que eu tô falando!), mas quando ela conseguia, era uma festa na minha casa!

Quando a D. Sofia partiu desta para uma cidade melhor (uma verdadeira sobrevivente, viveu por muito tempo ainda e se mudou para Bragança nos últimos anos de vida!) , foi um chororô na minha família!

Mas, voltando à descoberta da semana, tem mais uma historinha nesta historiona: como chegamos ao restaurante “Maria Escaleira, comida polonesa e do leste europeu”.

O Cabeça conheceu um ucraniano recentemente, puxou papo na esperança de conseguir alguma informação privilegiada sobre um restaurante de gueto, sei lá, mas num teve êxito! Aí, revoltado com a dificuldade de encontrar um tipo específico de culinária em SP (que supostamente tem de tudo, né!) empreendeu uma árdua busca em nome do amor (no caso, euzinha!).

E foi assim que, no fim de uma quinta-feira atribulada, recebi um convite pra ir jantar num restaurante surpresa!  (achei que ia rolar uma coxinha do Jorge, juro!)

Massss…”pra nossa alegria”, chegamos ao “Maria Escaleira, comida polonesa e do leste europeu”, restaurante recém-aberto que completava 3 meses de vida no 1055 da rua Cônego Eugenio Leite em Pinheiros. 

Confesso que nem olhei o cardápio direito. Pedi logo, ele, o salivado: pierogi.

Finalmente, as fotos:

Pierogi (ou perogi, pierogy, perogy, pierógi, pyrohy, pirogi, pyrogy, pierożki)

Pierogi (ou perogi, pierogy, perogy, pierógi, pyrohy, pirogi, pyrogy, pierożki)

A descrição do cardápio: Ravióli polonês, com queijo branco e creme de batatas com ervas, servido com ou sem bacon crocante.

(longe de ser aquele das minhas memórias, mas muito bom comparado a muitos que já encontrei por esse mundão afora!)

Agora no detalhe:

pierogi

pierogi

Esse close é pra destacar a cara de massa mal cozida que o pierogi precisa ter pra ser bom. Lembro que quando vi pela primeira vez o pastelzinho da D. Sofia, achei que tava semi-pronto, que precisava ir ao forno, fritar, sei lá.. há, há, há! A manteiguinha dá o toque, só dispensava o bacon mesmo!

Golabki

Golabki

Coberto por um molho de tomate muito bom está um charuto polonês de repolho recheado com carne e arroz. Acompanha um purê de batatas com gergelim (vou imitar!), e esse molhinho de cenouras incrível! Tudo junto e misturado fica uma super delícia!

De sobremesa, pedimos o Sernik, um bolo de queijo com pedaços de pêssego. Tava bem gostoso, doce na medida, lembrou demais um cheese cake, mas não que isso seja negativo.

Sernik

Sernik

A sobremesa saiu por R$14, os pratos por R$26 e alguma coisa cada um.

De contra: ficamos com cheiro de comida na roupa e eu odeio isso. Além disso, como o restaurante fica num sobradinho com várias salinhas, por vezes, foi difícil chamar a atenção do garçom.

Mas, nada que a força do pierogi não supere. Além disso, quero provar outros pratos comos os impronunciáveis: Zawijance, Szarlotka, Ciasto Porzeczkowe…só pelos nomes dá água na boca! rs!

Confiram e nos contem:

Maria Escaleira Restaurante – Culinária Polonesa e do Leste Europeu
R. Cônego Eugênio Leite, 1055 – Pinheiros
TEL.(11)2364-9913
www.mariaescaleira.com.br
ps. um detalhe: o pierogi tem diversas versões nos diferentes países do Leste Europeu. O do post de hoje é polonês, mas se alguém souber de um restaurante russo por aí, me avisem, pelamordedeus! Pode ser pelo twitter (@EstomagoFeliz), por e-mail (memoriasdeumestomagofeliz@gmail.com) ou pela nossa Fan Page no Facebook!

Anúncios
Categorias:Alemaes, Poloneses, São Paulo Etiquetas:,

Temakeria Paulista – é no Tatuapé!

Eu não gosto de temaki!

A onda do temaki cresceu de uma maneira tão desordenada e louca que tem muita gente vendendo um pedaço de peixe qualquer enrolado e chamando de temaki.

Aí, chegou um dia que, por insistência da minha mãe, fomos à Temakeria Paulista no Tatuapé!

Gente, admito: o negócio lá é muito booommm! Continuo sem gostar de temaki, mas quando vou nesta Temakeria, viro fanática!

Eu li em algum lugar que um bom restaurante japonês não pode, de modo algum, ter cheiro de peixe. Bem, esse requisito tá mais que cumprido.

Sobre a qualidade dos produtos, não há dúvida. Os peixes estão sempre muito frescos, com ótima aparência e sabor yammy! Outra coisa que li por aí: o corte do peixe nunca pode estar opaco, nem gelado. Super cumpre!

O atendimento é bom. Os meninos-garçons são bem atenciosos e nos dias de maior movimento (quase todo dia) tem uma hostess organizando a entrada.

O preço é muito camarada, considerando a qualidade e que comida japonesa, no geral, é cara mesmo.

Lambam os beiços:

Sunomono – conservinha agridoce de pepino com gergelim preto

Guioza – originalmente chinês, este bolinho recheado com carne e legumes é imprescindível!

Salmão Fry – Cubos de salmão empanados, cream cheese e molho tonkatsu

Salmão Ichiban – salmão, cream cheese, cebolinha, shimeji e um molhinho de shoyu

Atum Simples – atum e cebolinha

Sorvete de gengibre com calda de laranja

De sobremesa, também recomendo o Harumaki de maçã e o Tempurá de banana. O yakissoba, a saladinha de tofu e os teppans também passam pela minha mesa quando visito a Temakeria.

Dá um look no sashimi:

Sashimi – salmão, atum e peixe branco

Temakeria Paulista
Rua Serra de Japi, 1216, Tatuapé
tel: 11 2268 0889
2a à 6a das 16 às 24h
Sábado das 12 às 24h

A melhor trufa de chocolate do mundo!

Hoje, nosso post é em homenagem aos chocólatras!

Essa cabeça de gordo que vos escreve vive procurando o melhor de tudo: a melhor feijoada, o melhor tiramissú, o melhor steak tartar… E é claro que chocolate também está na lista.

Em uma viagem à Nova York, andando por Wall Street, descobri essa cara, porém, excelente chocolateria: La Maison du Chocolat!

Trata-se de uma casa francesa, como se pode perceber pelo nome.

Recentemente, voltei lá, dessa vez com minha companheira de loucuras gastronômicas, e fizemos uma “pausa para um café”:

Café com meio “Bis”!

Bis é uma tremenda sacanagem com esse simpático wafer.

Mas, não foi pelo café que começamos. Não queríamos interferir no paladar.

Nós começamos mesmo foi com um belíssimo bolo de chocolate:

Forte concorrente ao título de melhor bolo de chocolate do mundo!

Por outro ângulo, pois esse merece!

Também não poderíamos fazer economia nesta oportunidade rara: pedimos uma bomba de chocolate!

Éclair au chocolat

E duas trufinhas para finalizar:

A, veja bem, eu disse “A”, Trufa!

Essa, eu me arrisco a dizer: a melhor trufa de chocolate do mundo! Podem provar, pois essa é de comer de joelhos!

A bomba de chocolate também foi uma surpresa: a massa era crocante, sequinha, sem se deixar contaminar pela umidade do creme. Este por sua vez, vinha na medida. Simplesmente perfeito! E a cobertura de chocolate amargo, nem preciso dizer que estava fantástica, né? Afinal, chocolate é a especialidade deles! Na mordida, você sente o contraste dos três itens. Indescritível!

O bolo não era apenas bonito. Estava delicioso!

Enfim, momentos inesquecíveis! Mas, o destaque foram mesmo as trufas!

O único problema é o preço: uma caixinha com cerca de 210 gramas sai pela bagatela de 51 dólares!

A bomba de chocolate custa US$ 6,50, o bolo “Salon Cake Delice” US$ 8,00, cada trufa avulsa US$ 2,25, e o café US$ 3,50. A esses valores, podem adicionar 8% de impostos e 15% de serviços.

Caso tenham a oportunidade de fazer uma visitinha, eles tinham 3 unidades em Manhattan:

1018 Madison avenue, New York
30 Rockefeller Center, New York
63 Wall Street, New York

Dessas 3, recomendo a da Madison, que é mais bonita e tranquila. Na de Wall Street, não há espaço para você sentar e provar os doces. No Rockefeller Center, não lembro. Mas, na Madison é certeza que tem!

Se você tem alguma recomendação de outras chocolaterias fantásticas, pode comentar aqui, mandar pelo twitter (@EstomagoFeliz) ou pela nossa Fan Page no Facebook!

Hi Pin Shan – um bom restaurante chinês na Pompéia

Taí mais uma descoberta por acaso: Hi Pin Shan.

Algumas vezes, passávamos de carro em frente a um restaurante chinês, com aquela entradinha vermelha, bem típica, e falávamos que deveríamos parar para provar.

Eis que provamos. E não é que a comida é boa?

Neste dia, provamos o Mabo Tofu Apimentado: um tofu (queijo de soja) de boa qualidade, macio, com carne de porco moída, cebolinha, alho e gengibre, em um molho saborosíssimo, a base de molho de ostra, óleo de gergelim e shoyu. Não tenho certeza se a composição do molho era esta, mas foi o que o paladar pôde perceber.

Mabo Tofu Apimentado

Destaque para a cebolinha polvilhada sobre o prato: crocante e fresquinha!

Apesar do nome, não estava apimentado, não. E como somos fãs de pimenta, não poderíamos deixar de pedir o complemento:

Molho de pimenta típico dos chineses

Para acompanhar, nosso lado japa pediu uma porção de arroz:

Gohan

Acompanhamento perfeito!

Os preços não são exatamente uma pechincha por lá. Depende muito do que você pede. O Mabo Tofu especificamente é um prato barato: R$ 30,00. O prato, mais as bebidas, o arroz e 10% ficaram na faixa de R$ 55,00 para dois.

O atendimento também foi bacana. Só temos uma crítica ao restaurante: como muitos restaurantes chineses, eles servem sopa de barbatana de tubarão (pela bagatela de R$ 115,00), o que estimula a pesca de muitas espécies em extinção, submete os animais a um sofrimento cruel e gera um grande desequilíbrio no ecossistema. Hi Pin Shan, tira do cardápio, vai?!

Por este motivo, apesar da boa comida, estamos evitando o Hi Pin Shan. Uma pena! E você, vai lá? Conte para nós no twitter @EstomagoFeliz ou na nossa Fan Page no Facebook!

Mas, caso você queira conferir, segue o endereço:

Rua Padre Chico, 190, Pompéia

Telefone: 3675-2270.

Categorias:Chineses, São Paulo

Comendo na Colômbia – La Mulata en Cartagena

Li muitas referências positivas a respeito do restaurante La Mulata na cidade de Cartagena das Índias. Obviamente, pusemos na listinha de comilança e fomos lá conferir.

O restaurante de comida típica caribenha só atende no almoço, mas a gente só descobriu isso depois de dar com a cara na porta numa noite dessas. Como parecia super valer a pena, voltamos no almoço, mas já no fim do expediente.

Lado bom de chegar tarde: tinha um monte de mesa livre, super sossegado. Lado ruim: as opções de pratos estavam limitadas, algumas das mais interessantes já tinham acabado.

O La Mulata é bem rústico, tem poucos lugares e é simpático. De fato, como lido em outros blogs, trata-se de um restaurante bem em conta. Pagamos 26 reais no total para duas pessoas!

Pedimos a ‘Pechuga mulata’ e o ‘Filete de robalo’. Tempinho depois, a garçonete nos trouxe uma sopinha de entrada. Tinha uns pedações gigantes de mandioca cozida e muita carne. Num gostei muito não, pra dizer a verdade…

Ah, de bebidas pedimos uma Kola Román (que nada mais que é um refrigerante sabor cor-de-rosa!) e um copo de “quero-igual-da-mesa-ao-lado-mas-num-sei-o-que-é”. Era suco de CO-RO-ZO! Que é tipo um coquinho de uma palmeira.

Vamos ao que interessa:

a sopinha de mandioca com frango

a sopinha de mandioca com carne

frangão coberto por queijo amarelo (parecido com queijo prato), linguiça, saladinha básica e batata frita

frangão coberto por queijo amarelo (parecido com queijo prato), linguiça, saladinha básica e batata frita

robalo com molho de cogumelo, arroz com coco enfeitado com batatas fritas e a saladinha básica

robalo com molho de cogumelo, arroz com coco enfeitado com batatas fritas e a saladinha básica

Kola Román sabor cor-de-rosa

Kola Román sabor cor-de-rosa

a bebideeenha da amnésia e um pouco do ambiente do La Mulata

suco de corozo e um pouco do ambiente do La Mulata

Pelas fotos e descrições dos pratos, talvez vocês já tenham a mesma percepção que a gente teve: num tem nada de mais! Digo, a comida é bem ok, o preço é super ok, mas é isso. Não tem nenhum ingrediente diferente, nem nenhum tempero diferente. Nem mesmo dá pra dizer que tava super bem executado, pois a batata tava encharcada de óleo, o frango tava brancão e tinha muito queijo. (o robalo foi a melhor escolha da mesa!).

De caribenho mesmo, tinha essa mistura de duas carnes no mesmo prato, sendo uma delas essa linguiça (não que gente não misture tipos diferentes de carne, mas na Colombia percebemos que isso é bem mais comum).

Mas, estando lá, visite e nos conte suas impressões:

La Mulata
Calle Quero, 9-58
tel: 6646222
Cartagena de Indias
Colombia
(só no almoço, não esqueçam!)